Página Principal Módulo 6 Módulo 7 Módulo 8 Módulo 9 Módulo 10 Módulo 11

Módulo 8                                      

          TEXTO ARGUMENTATIVO      

Objectivos

O texto argumentativo
- Características
- Estrutura básica do discurso argumentativo
- Procedimentos e recursos de argumentação
- Exemplificação: Leitura e análise de um texto argumentativo ( Manifesto Anti-Dantas e Causas da Decadência ..)
- Exercitação: Escrita de um texto argumentativo a partir de um tema predeterminado


Argumentação, arte de persuadir

Desde que o homem começou a conviver, usou a palavra como meio de dar a conhecer aos outros as suas mundividências e como forma de convencer o(s} outro(s}.

Conhecem-se autores antigos que criaram escolas de argumentação: Sócrates, filósofo grego (470-400 a. C), Aristóteles, filósofo grego (384-322 a. C), Cícero, o mais eloquente dos oradores romanos (106-43 a. C), entre outros. Aristóteles definiu a argumentação como a "arte de falar de modo a convencer".

Toda a arte tem as suas normas e a argumentação não foge à regra. As suas etapas são: encontrar o problema, procurar os argumentos e os contra-argumentos, dispô-los adequadamente, usar as figuras de estilo que mais agradam, formular juízos de valor, etc.

As qualidades principais do discurso argumentativo são o rigor, a clareza, a objectividade, a coerência, a sequencialização e a riqueza lexical.

            SUGESTÕES PRÁTICAS       

Há três fases na produção de um texto argumentativo: na primeira trabalha-se sobre textos diversos com a intenção de criar um estado de opinião, na segunda, o aluno recolhe de forma individual informação variada sobre o tema; na terceira realizam-se trabalhos de escrita e aperfeiçoamento textual. Lê  esta ficha informativa que te dá um exemplo de como fazer um texto argumentativo.

O texto argumentativo deve começar por uma introdução que ocupa normalmente um parágrafo; segue-se o desenvolvimento, em parágrafos que contêm os argumentos e os contra-argumentos, seguidos de exemplos; finalmente, uma conclusão, de parágrafo único, que retoma a afirmação inicial provada ou contrariada. Os vários parágrafos devem estar encadeados uns nos outros pelos articuladores do discurso ou conectores lógicos (de causa-efeito-consequência, hipótese-solução, etc.).  

As conjunções coordenativas e subordinativas são alguns dos mecanismos de junção ao serviço da coerência e coesão textual. Para saberes utilizar de forma mais adequada os conectores proponho-te que realizes estes dois exercícios de preenchimento de espaços em branco com algumas conjunções: Conjunções coordenativas, conjunções subordinativas

A oratória

A oratória, ramo da argumentação, é a "arte de discursar em público".  Trata-se de um discurso muito lógico e rigorosamente articulado.

A oratória agrupa os autores que se empenharam, pela eficácia da palavra, em persuadir os outros da justiça e da verdade das suas causas. Há várias espécies de oratória. Será forense ou jurídica, se trata de defender os direitos civis dos cidadãos; política, se incide sobre as deliberações referentes ao bem comum das sociedades; académica, se versa temas culturais; sagrada, se o orador fala em nome de Deus e proclama uma mensagem ligada aos valores divinos.  

Um exemplo da arte de discursar são os Sermões de Padre António Vieira que podes ler aqui.


 Actividade  1 

Agora que já conheces as características do texto argumentativo proponho-te que leias dois textos da nossa literatura para reflectires sobre a arte de bem argumentar.

AQUI O MANIFESTO ANTI DANTAS da autoria de Almada Negreiros

Este texto virulento do jovem Almada (que contava 23 anos) terá sido escrito entre Abril e Setembro de 1916, sendo, portanto, anterior à conferência de 1917, início oficial do movimento futurista em Portugal.

Saiu este folheto de 8 páginas impresso em papel de embrulho, ao preço de 100 reis, todo grafado em maiúsculas e utilizando aqui e além, para sublinhar a onomatopeia - PIM!-, uns ícones representando uma mão no gesto de apontar. Segundo se diz, terá esgotado nos primeiros dias, por obra do açambarcamento do próprio visado. Apesar disso, ou graças a isso, o escândalo rapidamente se propalou e a polémica causada teve uma grande intensidade. É que, no fundo, não é só a pessoa de Dantas que é atacada, mas toda uma geração de literatos, actores, escritores, jornalistas, etc, que ele personificava: "Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi". Através da ironia e do sarcasmo, utilizando uma linguagem iconoclasta e insultuosa, abusando de exclamações, repetições e enumerações, Almada zurze o academismo instalado e os valores tradicionais que pretendia abalar.

O manifesto não é apenas contra Dantas. É uma reacção contra uma geração tradicionalista, uma sociedade burguesa, um país limitado.

Procura saber um pouco mais sobre Almada Negreiros e os motivos que o levaram a escrever este manifesto. Para isso sugiro-te que leias atentamente as seguintes páginas e respondas às perguntas que te formulo:

Almada Negreiros
Manifesto Anti Dantas

1.  Inventaria: 

_ as razões do Manifesto

_ as finalidades do Manifesto

2. Que aspectos são ridicularizados no principal destinatário do Manifesto?

2.1.Indica os meios utilizados para ridicularizar.

2.2. A partir das informações do Manifesto esboça um retrato de Júlio Dantas.

 


Antero de Quental LACRIMAE RERUM - Noite, irmã da Razão e irmã da Morte, Quantas vezes tenho eu interrogado Teu verbo, teu oráculo sagrado, Confidente e intérprete da Sorte! Aonde são teus sóis, como coorte De almas inquietas, que conduz o Fado? E o homem porque vaga desolado e em vão busca a certeza que o conforte? Mas, na pompa de imenso funeral, Muda, a noite, sinistra e triunfal, Passa volvendo as horas vagarosas... É tudo, em torno a mim, dúvida e luto; E, perdido num sonho imenso, escuto O suspiro das coisas tenebrosas... 

  Actividade 2   

1. Lê o texto de Antero de Quental "Causas da decadência dos Povos Peninsulares nos últimos três séculos" e tenta sintetizar as causas apontadas por Antero para o atraso português e espanhol desde o século XVII.

 2. Durante a leitura do texto tem em atenção os argumentos e os contra-argumentos utilizados e faz uma síntese dessa argumentação.

3. Faz uma síntese dos principais aspectos da biografia e bibliografia de Antero de Quental.


  Actividade 3  

Como forma de despertar o prazer de escrever e para treinar a argumentação, vais executar as seguintes tarefas:

  1.  Escreve uma carta  dirigida a um amigo e tenta convencê-lo sobre as vantagens de uma viagem a um lugar inóspito, como uma floresta ou um deserto. 

  2. Rebate a carta de um teu colega. 

Não adianta dizer apenas que concordas ou discordas,  é preciso dizer por quê, saber sustentar os argumentos e as posições tomadas.


 

No final deste módulo devo ficar a saber:

O que é a argumentação

A estrutura do texto argumentativo

 O conteúdo e organização de dois textos argumentativos: Manifesto Anti-Dantas de Almada Negreiros e Causas da decadência dos Povos peninsulares nos últimos três séculos de Antero de Quental.

Produzir um texto argumentativo

Saber mais...

Exemplos de outros discursos

Padre António Vieira

Almeida Garrett

Almada Negreiros